churrasco churrasco

Churrasco perfeito: dicas de preparo, acompanhamentos e cálculo

11 minutos para ler

Verão, inverno, outono ou primavera. Independente da estação do ano, um churrasco bem feito nunca é uma má ideia na mesa do brasileiro, não é verdade?

Além de ser uma culinária relativamente fácil de ser preparada e extremamente saborosa, o velho e bom “churras” ganhou um caráter ritualístico na vida dos BR’s.

Quem aí não gosta de improvisar uma churrasqueira só para ter um motivo de reunir a galera, jogar prosa fora e tomar aquela gelada?

Pois é, mas antes de bater no peito se candidatando para acender a churrasqueira ou temperar a carne, siga as dicas abaixo para não passar vergonha, ok?

Como acender a churrasqueira

acender churrasqueira

Esse (obviamente) é o primeiro passo, mas mesmo o brasileiro sendo apaixonado por churrasco, sempre, no início de qualquer queima de carne entre amigos, surge a famosa pergunta: “E aí, alguém sabe acender churrasqueira?”.

Então, aqui estão 3 maneiras para acabar com essa tradição:

    • Usando papel higiênico e óleo de cozinha, tudo que você precisa fazer é molhar um pedaço do papel com o óleo. Depois, coloque algumas peças de carvão em cima e ponha fogo. Agora, espere pegar fogo e abane até se formar a brasa.
  • O sistema vulcão. Faça como você fez com o papel higiênico, apenas substitua o óleo pelo álcool e o papel higiênico por jornal. Pegue uma garrafa (pode ser de cerveja 600 ml) e a envolva com algumas folhas de jornal. Depois de Formar uma camada grossa de papel, remova a garrafa. Se as tiras de jornal formaram um canudo, você está no caminho certo.Agora, coloque o canudo no meio da churrasqueira, entre as pedras de carvão (ponha carvão dentro do canudo também!). Hora de acender o fogo!
  • Com pão e álcool. Molhe o pão com álcool e coloque o pedaço de pão umedecido no centro de um amontoado de carvão. Em cima, coloque mais carvão, um pouco mais de álcool ateie fogo.

Lembre-se! A grelha precisa estar quente, mas não muito quente – se você não pode ficar perto, você não deve cozinhar sobre ela.

Acenda com antecedência para que as chamas tenham tempo para morrer antes de começar a cozinhar: o carvão deve ter queimado e ser revestido com cinzas brancas.

No último segundo, tempere bem a carne. Não use nenhum óleo nela – se a grelha estiver na temperatura correta, a carne o fará.

Carnes para churrasco

Beleza! Churrasqueira a todo vapor, sol, cerveja, companhia boa… Quero mais o que? Opa! Cade a carne?

É, falta esse pequeno detalhe. Mas acalme-se! Fiz uma listinha com o que você pode optar na hora de ir ao açougue. Carnes saborosas e que, se você seguir todas as dicas deste conteúdo, não irão decepcionar seus companheiros de churrasco.

Contra-filé

contra-filé

A favoritinha dos amantes de carnes bem avermelhadas, sangrando, mugindo… O contra-filé fica muito saboroso mal passado.

É uma peça extremamente macia e que, caso fique além da conta na grelha, provavelmente ressecará a parte interna, prejudicando muito o sabor dessa maravilha. Por isso, pode confiar, o ponto ideal dessa carne é o mal passado. Caso contrário, vamos desperdiçar as principais vantagens da peça.

Alcatra

alcatra

Vou falar mais sobre o miolo da alcatra, ok? É uma carne um pouco mais magra do que as outras aconselhadas para churrasco, mas fica excelente grelhada.

Minha sugestão é que você a faça em bifes altos. Meça uma espessura de dois dedos masculinos e a sirva ao ponto (minha preferência). Essa carne é uma ótima opção porque ela, mesmo bem passada, não perde o sabor e, também, não endurece.

Filé Mignon

filé

Huuum… atenção aqui, hein!

Essa carne é considerada uma parte nobre do boi e dificilmente é preparada em um churrasco, porque pode ressecar pela pouca gordura. Entretanto, se você é teimoso, pensa que é o Alex Atala da churrasqueira, pode ser que se dê bem!

O filé mignon é macio e adocicado, e pode ser servido em espetinhos acompanhado de outras carnes, bacon ou até mesmo queijo, por exemplo.

Coxão Mole

coxão mole

Não se vê muito por ai churrasqueiros optando por esse corte, mas uma boa maneira de fugir das tradicionais peças (picanha, alcatra, maminha, contra-filé e costela), é a escolha dessa carne conhecida também como chã de dentro.

O coxão mole, chã, coxão de dentro, polpa ou polpão, fica na parte traseira do boi, rende bifes grandes e tem como principais características maciez e suculência.

Cupim

cupim

Essa vai levar um bom tempo. Tenha paciência! O cupim precisa de muito tempo para ser assado. Por ser uma peça fibrosa, é a única maneira de atingir o ponto ideal.

Mas é uma carne extremamente saborosa, já que as mesmas fibras que dificultam o cozimento são  intercaladas com gordura. Aí já viu, né? Uma delicia!

Costela

costela

Olha as fibras ai de novo! A costela, assim como o cupim, tem muitas fibras (grossas e compridas), o que acaba levando mais tempo para o seu cozimento.

O tempo para pegar o tempero também deve ser considerado, mas a carne é bem flexível quanto aos tipos de temperos, aceitando desde temperos mais elaborados até o tradicional sal grosso.

A PICANHA!  

picanha

Pensou que eu tinha esquecido dela, né? Nunca! 

É um prazer dizer que ela é uma carne muito suculenta e fácil de ser temperada. Sabe aquela gordura no canto? Então, ela é um dos grandes motivos desse pedaço de mau caminho ser tão saboroso.

Bom, essas são as principais carnes para você não passar vergonha pedindo ao açougueiro qualquer coisa fingindo que entende (eu também já fiz isso!). Vamos agora para a alma da cozinha e de um bom churrasco?

O tempero! Continue lendo para saber técnicas para realçar o sabor e não desperdiçar as qualidades da carne.

Como temperar a carne

Agora, o papo vai ser sério e bem direto! Vou te passar alguns cuidados na hora de temperar.

Retire a sua carne da geladeira para levá-la à temperatura ambiente. Idealmente, sua carne deve ter pelo menos 4 cm de espessura, porque o objetivo é obter uma boa crosta (selar) no exterior, mantendo o interior suculento e macio, o que é impossível com uma peça fina.

Seque-o antes do tempero (basta tapá-lo com toalha de cozinha), porque a carne molhada impede a formação de uma crosta decente, e pode pegar aromas desagradáveis ​​de carne fervida.

Ao temperar a carne, eu gosto do sal marinho. Eu nunca uso sal de mesa, que é muito salgado e contém antiaglomerantes. Tempere agressivamente, jogando punhados de sal na carne: a teoria diz que muito do sal cairá nesta etapa e durante a cozimento. O que restar é a quantidade correta de tempero.

Algumas pessoas afirmam que não deve temperar a carne depois de cozida. Discordo! Mas, como em qualquer tipo de cozimento, há variáveis ​​a serem observadas: peças mais espessas, como costelas com osso, precisam de mais temperos do que cortes mais finos, devido à sua relação área-superfície inferior.

Como preparar a carne: temperatura, tempo e ponto

Coloque a carne na grelha e deixe-a sem mexer durante um minuto, em seguida, vire a cada minuto até obter uma atraente caramelização. Se a sua carne estiver grossa, o giro regular ajuda a evitar a queima.

Mova sempre a sua carne se as chamas amarelas pularem da churrasqueira – isso significa que a gordura pegou fogo, o que pode fazer com que o sabor da carne defume demais. Não sobrecarregue a grelha.

Deixe espaço suficiente entre cada pedaço de carne, então o oxigênio pode chegar ao carvão. É impossível dar tempos de cozimento exatos: depende da espessura da carne, do animal de que provém, do corte e da temperatura da grelha.Controlar a temperatura só pode ser aprendida através da prática.

Em breve, você começará a entender os pontos quentes e legais, quanto tempo demora para que as brasas cheguem a temperatura ideal e quanto tempo dura a carga total de carvão.

Para cortes mais duros, tente empurrar as brasas para um lado e coloque uma tampa com as aberturas livres, para deixar o ar passar (se o seu churrasco não tiver uma tampa, improvisar com outra coisa feita de metal).

Isso é conhecido como grelhar ou assar indiretamente e faz com que o ar quente flua uniformemente em torno da carne, como ocorre em um forno de convecção.

Cozinha de duas zonas

O cozimento indireto também fornece uma área de segurança. Ao usar duas zonas de cozimento – direta e indireta – você pode moderar a forma como a sua carne cozinha: se a grelha ficar um pouco fora de controle, basta mover a carne para a área indireta até se acalmar.

O objetivo é ter duas temperaturas muito diferentes, uma em cada extremidade do churrasco. Idealmente, a zona indireta irá girar cerca de 105-130 ° C, enquanto a zona direta será cerca de 170-190 ° C.

Coloque a carne diretamente na zona mais quente, mantenha-a em movimento até corar. Quando você achar que está quase pronto, transfira-a para uma área de calor indireto e deixe-a terminar o cozimento e descansar. Atenção: isso leva um pouco de prática.

Deixe em repouso

Uma das etapas mais importantes em qualquer churrasco. Retire a carne antes de pensar que está pronta e deixe descansar: continuará cozinhando no calor residual e os tecidos relaxarão, o que significa que você servirá mais suculento e macia.

Nossos paladares funcionam melhor em temperaturas mais moderadas. Um descanso de 20 minutos a 60 ° C irá melhorar o seu churrasco – desde que você possa resistir tanto tempo.

Cálculo para churrasco

As carnes mais comuns em churrascos são picanha, alcatra, fraldinha, costelinha e linguiças. E o que isso tem a ver com o cálculo?

É que o cálculo de quantidade varia muito de acordo com o tipo de carne que foi escolhida. Carne mais gordurosa, menor quantidade. Carne mais magra, maior a quantidade.

Como geralmente o cardápio do churrasco tem muita variação, o cálculo gira em torno de 300 gramas para mulher e 500 gramas para homens.

Agora, se você é estudante, tem pouco dinheiro e só está arrumando uma desculpa para beber, o cálculo é 300g cabeça. Independente do gênero!

Outra dica boa para esse caso é comprar muito (muito mesmo!) pão, tomate e cebola. Assim, você controla com qualidade a ferocidade de estudantes famintos com saborosos pães com vinagrete. De preferência antes de sair a primeira leva de carnes!

Se você quiser parar de papo furado e calcular com mais precisão, use nossa calculadora para churrasco clicando aqui!

Churrasco e cerveja

cerveja e churrasco

Enquanto você está cuidando da churrasqueira e seus convidados estão saboreando a sua obra-prima, nada melhor do que tomar aquela cervejinha derramando suor pelos poros de uma tulipa, não é verdade?

Pois chegou a hora de falar de uma das maiores criações do homem: a combinação de churrasco x cerveja!

Eu sei que você provavelmente se considera um veterano dessa arte, mas você realmente conhece sobre harmonização desses dois elementos?

Existem diversos tipos de cerveja, vamos te mostrar o ideal para uma boa degustação!

O mais indicado

No geral, o mais indicado é optar por cervejas leves, com teor alcoólico baixo. Já que um churrasco normalmente se estende por um longo tempo. A espuma também tem a sua função, auxilia na lavagem dos lábios na degustação de cortes mais gordurosos.

A boa é que você não precisa ser nenhum sommelier de cerveja para escolher a que mais combina.

Indicação: pilsen! O maior problema é que tem “corpo baixo” e não harmoniza tão bem com carnes vermelhas.

Carnes vermelhas (Pegando pesado)

Para o churrascão clássico, sem restrições, uma cerveja com maior teor alcoólico cai bacana. Sabe aquele sabor defumado e intenso originado da caramelização? Então, este é o motivo!

Indicação: Brown Ale e Dubbel ou Double IPA.

Carnes leves

Está pegando leve, churrasquinho com carnes brancas e sabores suaves?

Indicação: American Brown Ale e Amber Lager.

É isso! Como você viu, fazer um churrasco bacana não é nada difícil. Só precisa de atenção e cuidado com alguns pequenos (muitos!) detalhes que fazem total diferença!

Pronto para botar em prática?

Depois de testar todas essas dicas, volte aqui e deixe nos comentários o que deu e não deu certo. Compartilhe também manhas que você guarda na manga e que não mencionei! Nos siga também pelo Instagram e Facebook e fique por dentro de novas receitas e dicas sobre churrasco.

Afinal, de churrasqueiro e técnico de futebol todo brasileiro tem um pouco, né!?

Posts relacionados

Deixe uma resposta